Tudo azul para o Uberlândia, que venceu o Caxias e garantiu a classificação para a 2ª fase


A equipe do Uberlândia conseguiu favorecer o mando de casa, Estádio Gustavo Shier, e venceu o escrete do Caxias em 2 a 0, em partida válida pela última rodada da primeira fase da Série B da Suburbana 2015. O embate foi nervoso durante os 90', com muitas faltas de ambas as equipes. Ou seja, o Caxias fez valer o três pontos do Uberlândia, que foram essenciais para garantir a equipe na terceira colocação do grupo e seguir adiante no certame.

#SUBURANA
Por Rafael Buiar

A equipe do Caxias deu a saída de bola no embate, mas foi o escrete do Uberlândia que pressionou primeiro a meta do time adversário nos primeiros minutos. Devido a isso, a torcida ‘Falkatrua’ (Uberlândia) entrou em campo e foi o décimo segundo jogador no Estádio Gustavo Shier desde o princípio do jogo. Fato que motivou os jogadores do time da casa, já que o Uber ficou com mais volume de jogo. Destaque na jogada aos 5’, que com ligação direta, de Cenoura para Quintino, o time da casa quase que abriu o placar.

Minutos depois, a equipe visitante respondeu com uma falta próxima da área aos 8’, pois o zagueiro Ivan cobrou e arrematou na trave e o arqueiro do Uber, Osni, ficou só olhando na bola. Na sequência, o time do Uberlândia contra atacou e marcou, com Rafinha que pegou o rebote na trave, após a cabeçada de Alex. Mas o assistente assinalou impedimento, para a frustração da torcida. Nessa altura da partida, o camisa 10 do Uberlândia foi o cara mais acionado na equipe da casa. Rafinha organizou o sistema ofensivo e ajudou o time da casa a crescer na partida, além de concluir várias vezes a meta do goleiro Jefferson.


Com várias oportunidades desperdiçadas do Uberlândia, o time do Caxias melhorou o toque de bola e passou a ter mais volume, em relação aos minutos iniciais. Mas aos 16’, em cobrança de falta, o time casa fez outro gol. Desta vez com o zagueiro Alex. Mas, mais uma vez anulado corretamente. Mas não demorou muito para o escrete do Uber abrir o placar. Aos 21’, o time da casa, em ligação do meio de Boca para o camisa 9, Quintino, que só teve o trabalho de concluir na saída do goleiro e correr para o abraço com torcida Falkatrua.

Após o gol, o time visitante não conseguiu jogar, pois o Uberlândia seguiu pressionando. Dificultando cada vez mais o toque de bola da equipe adversária. Com 30’, o jogo caiu um pouco de ritmo e muitas faltas de ambos os times ocorreram no embate. Em relação a isso, o primeiro cartão amarelo do jogo saiu para o camisa 10’ do Uberlândia. Nos minutos finais da primeira etapa, o time da casa acendeu a partida e o embate ficou mais aberto. Deste modo, ambos os times atacaram, principalmente, pelos lados.  Mas nada de alterar o placar em 45’ de bola rolando, já que o árbitro, Thiago Moraes Escobar encerrou sem acréscimo.


SEGUNDO TEMPO – No retorno da segunda etapa, ambas as equipes retornaram com os mesmos jogadores que terminaram a primeira etapa. Com bola rolando, o Uber já chegou a aumentar o placar, mas novamente o atacante Quintino estava impedido. Ainda nos minutos iniciais da segunda etapa, o embate caiu de produção. Mesmo assim, o time da casa desceu quatro vezes em menos de 10’. Porém, os ataques foram sem efetividades nas conclusões. Já o time visitante teve alguns ápices, mas somente com bolas paradas.

Passados os primeiros 13’, ambas as equipes fizeram alterações. O troca-troca do time visitante foi para deixar o time mais ofensivo, mas também reforçar o sistema defensivo. Já que o time ficou com três atacantes e três zagueiros. Em relação a isso, o escrete do Caxias teve mais posse de bola. Mas o controle da partida não durou por muito tempo, pois o time da casa cresceu também com as alterações. Em poucos minutos três ataques que quase mudaram o placar a favor do Uber.


Com 30’ e com o placar de 1 a 0 para o Uberlândia, o jogo ficou fraco no setor de criação. Fato que comprovou isso foi o número alto de faltas neste período, de ambos os lados. Mas aos 31’, o time do Uber trocou passes até chegar aos pés de Rafinha, que só teve o trabalho de dominar e chutar forte no canto do goleiro Jefferson, ampliando o placar em 2 a 0 para o time da casa. Com o segundo gol, o time da casa ganhou mais volume e comandou o meio de campo.

Mas nos minutos finais, a equipe do Uber sofreu pressão do escrete do Caxias. Destaque na bola na trave em um cabeceio do zagueiro do Caxias, com o cruzamento da direita. Na sequência, Negão arrematou perto da área, mas foi travado pouco antes da bola entrar. Observando isto, a torcida do time da casa aumentou o tom da voz e acordou o time do Uber.  Com isso, o time da casa segurou mais a bola no campo do Caxias até o árbitro decretar fim da partida, com mais dois minutos de acréscimo.


XXXXXXXXXXXXXXXX OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXX

Uberlândia: Osni; Felipe (Nardo), Nepo, Alex e Vagner; Maicon, Mail (Wesley), Boca (Oberdan), Rafinha; Cenoura e Quintino (Alan). Treinador: Joãzinho.

Caxias: Jefferson; Sassai (Cleversson), Ivan, Pedro e Rafael; Erick, Dedé, João (Negão) e Egeu; Alisson e Mosquito. Treinador: Julio.

Gols: Quintino aos 21' do 1º tempo e Rafinha aos 31' do 2º tempo (Uberlândia)

Cartão amarelo: Mail, Vagner e Maicon (Uberlândia) e Pedro (Caxias)

Cartão Vermelho: Vagner (Uberlândia)

XXXXXXXXXXXXXXXX PRÓXIMA RODADA XXXXXXXXXXXXXXXXXX

Na próxima fase, no grupó C, a equipe do Uberlândia irá enfrentar as agremiações do Capão Raso, que terminou na liderança do seu grupo e ganhou o ponto extra; o São Braz, que ficou na segunda colocação do B e o Palmeirinha que ficou em quarto no B. Já o escrete do Caxias irá jogar somente em 2016.
__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, 
desde que citada a fonte.