Nova Orleans vai até o Donato Gulin, vence a primeira e sai da ZR


Na tarde deste sábado (25), o Donato Gulin foi palco de um jogo entre dois times pressionados. Vila Hauer e Nova Orleans pisaram no gramado sem saber o que era vencer. Quem triunfasse respirava e ao mesmo tempo colocava o adversário em maus lençóis. Esses detalhes tornaram a partida quente, com direito a pênalti, expulsões, reclamações de arbitragem e, claro, gols. Ingredientes típicos de um jogo de Suburbana...


#SUBURBANA
Por Dudu Nobre

A temperatura do jogo foi esquentando conforme o tempo ia passando. Até os 29’ da primeira etapa, apenas três chances criadas. O UNO desperdiçou duas bolas paradas com Fernandinho – uma aos 4’ e outra aos 13’. O Vila teve um chute de Allan que parou em Rogério aos 6’. Aos 30’ Igor tirou do goleiro, mas Du salvou em cima da linha.

O Orleans estava melhor, investindo na velocidade de seu setor ofensivo – representado pelo trio Fernandinho, Gema, e Vinicius. O Hauer errou muitos passes, o que dificultava a penetração na área adversária. Mas faltava o gol, o estopim para um jogo mais movimentado.

Ele veio aos 44’. E não foi um gol qualquer. O meia do Orleans Pity dividiu com o zagueiro Du, que chutou e encobriu o goleiro... do seu próprio time. Um gol de placa contra. O alviverde foi para o intervalo com a vantagem de 1 a 0.


Isso obrigou o Vila Hauer a ir com fome de bola pro segundo tempo. Aos 6’, uma esperança a mais para o time da casa: O técnico Marquinhos foi expulso. O time visitante poderia se abalar sem o seu comandante. Mas isso não aconteceu. O Orleans se manteve tranquilo, controlando a vantagem. E aos 18’ resolveu aprontar mais uma. Em jogada individual, Gema sofreu pênalti. Ele mesmo cobrou e ampliou a vantagem da equipe da zona oeste.

Desesperado, o Vila partiu pro abafa. Aos 24’, Allan entrou na área e tocou por cobertura, mas a bola foi pra fora. Aos 26’, Peteca foi expulso. Com 11, o tricolor seguiu pressionando e diminuiu o marcador. Aos 29’, Alex ganhou a dividida com o goleiro Rogério e empurrou para o gol vazio. 2 a 1.

O técnico Marinho Lima fortaleceu o setor direito do ataque do Hauer ao colocar Lincoln na vaga de Márcio Campina e Willian no lugar de Glauco. Este incendiou mais o jogo. Aos 31’ Willian chutou na trave. Aos 37’, ele rolou para Vagner, que chutou nas mãos de Rogério. Nesse meio tempo, o Vila reclamou de um toque de mão do jogador do UNO dentro da área.

O Orleans segurava ao máximo a pressão, mas a partir daí o time da casa começou a apresentar o problema da primeira etapa: o erro de passe – especialmente o último. Esse era o quadro quando o juiz deu seis minutos de acréscimo.

Mas esse tempo se estendeu. Aos 51’, falta na meia lua da área pro Vila. Rolou uma discussão e duas expulsões: Lincoln pelo lado do tricolor e Dudu pelo do alviverde. Na cobrança Rogério espalmou qualquer chance de empate. Vitória do verdão por 2 a 1.


O triunfo foi fundamental. Com o resultado, houve uma inversão de posições. O UNO somou os primeiros três pontos na Suburbana 2015, passou o Hauer e saiu da ZR. O Vila é o lanterna com dois pontos. Na próxima rodada o alviverde pega o Nacional no Boqueirão e o tricolor enfrenta o Trieste em Santa Felicidade.

OS ESCRETES

VILA HAUER: Diogo; Glauco (Willian), Italiano, Du e Matusalém; Alex Feitosa (camisa 15), Alex Bilico, Márcio Campina (Lincoln) e Paulinho (Leandro); Allan e Rogério (Vagner). Técnico: Marinho Lima.

NOVA ORLEANS: Rogério; Dudu, Pikachu João e Jean; Peteca, Gema, Pity e Fernandinho (camisa 17); Igor e Vinicius (camisa 16). Técnico: Marquinhos 

__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.