UNO vence o Bola de Ouro e ainda sonha com a vaga para a próxima fase


Nova Orleans e Bola de Ouro duelaram neste domingo (05) no Estádio José Drulla Sobrinho, em jogo válido pelo último embate do 1º turno do grupo A da Taça Paraná. A primeira etapa foi de muito equilíbrio, mas com pouco futebol  apresentado pelas duas equipes. Diferente da segundo tempo, em que o time da casa levou a melhor com os três gols anotados diante o escrete de Colombo. Com a vitória, o time do Orleans ainda sonha com a classificação para fase seguinte do certame.

#SUBURBANA
Por Rafael Buiar

O time da casa iniciou melhor nos primeiros minutos e conseguiu mais posse de bola já no princípio de jogo. Pressionado com o último resultado, em que foi derrotado para o Bandeirantes, o Nova Orleans tomou primeiro as iniciativas de ataque. Mas o nervosismo fez com que vários passes saíssem errados, dificultando, principalmente, o último passe. Mesmo assim, o adversário se impôs no jogo, mas a equipe de Colombo não conseguiu segurar a bola e perdeu com facilidade para o Verdão da zona oeste, com 5’. 

Mas a primeira oportunidade de gol foi do time visitante, em que a zaga do Nova Orleans saiu errado e Didi, o camisa 10 do Bola de Ouro, aproveitou chutando na entrada da área, mas o chute foi travado. No rebote, Dú arrematou de fora de área e quase prejudicou a vida do goleiro Rogério, que só observou a bola indo para fora da sua meta. Após o lance, o sistema defensivo levou uma dura do camisa 1 do UNO. Com essa oportunidade desperdiçada, a equipe adversária cresceu no jogo e já assustou novamente o Nova Orleans. Desta vez, com cobrança de falta de Douglas, que passou perto da meta do goleiro Rogério. 

Com o passar dos 20’, o time do UNO teve visivelmente dificuldades de criar jogadas pela meia chanca. Por isso procurou outra alternativa, jogadas pelos flancos. Mas sempre travadas no sistema defensivo do Bola de Ouro, que com ligação direta armou vários contra ataques e quase complicou a vida do UNO. Um grande exemplo disso foi aos 21’, em que Dudu cruzou e a zaga afastou. Na sequência, Didi pegou a bola no meio e levou até a intermediária tocando para Dú, que cruzou na medida para Carlão que não aproveitou o lance.


Passado da metade do primeiro tempo, o time do Nova Orleans conseguiu fazer a primeira jogada com finalização. A trama ocorreu entre o Alan e Giovani, que colocou frente a frente o camisa 9 que não aproveitou. Período em que o jogo esteve aberto, já que as duas equipes atacavam em excesso. A equipe do UNO errando o último passe e o Bola de Ouro desperdiçando inúmeras oportunidades. 

Nos minutos finais, o clima da partida esquentou e várias faltas ocorreram. Destaque para a confusão generalizada, causada por Evandro (Nova Orleans) e Douglas (Bola de Ouro) na frente do banco de reservas do UNO. O saldo desta confusão foi dois cartão amarelo para o UNO e um para a equipe adversária. Jogo reiniciado e o camisa 5, Evandro, errou na saída de bola. Douglas, que não tem nada a ver com isso, aproveitou e cruzou para Carlão, que dominou, ajeitou na perna bola e isolou. Sendo essa a chance mais clara de gol da primeira etapa. Após esse lance, o árbitro Leandro Barros Nunes encerrou a primeira etapa

SEGUNDO TEMPO - Na volta para a etapa complementar, nenhuma das equipes retornou com mudanças nos escretes. Porém, a postura da equipe da casa é que voltou diferente em relação a primeira etapa. Mudança que foi visível logo nos 3’ de jogo, em que Evandro tocou em profundidade para Dudu, que sofreu falta pelo direito. Na Cobrança, Vitor cruzou na medida para Alan, que ajeitou para o zagueiro Erick estufar a rede do goleiro Eron, abrindo o placar no José Drulla Sobrinho aos 3’. Minutos depois, em outra jogada iniciada por Evandro, que passou para Alan, que novamente foi serviu. Desta vez para a conclusão em cheio do camisa 7, Alex, que deslocou do goleiro e foi comemorar com a torcida, com 12’ de bola rolando da etapa complementar.


Com o placar a frente, a equipe do Nova Orleans esteve mais tranquila, mas relaxou. Momento em que o time visitante melhorou e preocupou a zaga alviverde. Em relação a isso, o time do  Bola de Ouro reagiu e diminuiu no placar. O gol originou pelo lado esquerdo com Douglas, que virou o jogo para o companheiro Didi. Na sequência, o camisa 10 passou para Dú, que arrematou forte de fora da área, mas Rogério defendeu parcialmente e no rebote Amaral empurrou para o fundo da rede, aos 22’. Nova Orleans 2, Bola de Ouro 1.

Mas a reação do time de Colombo freou, pois aos 27’ o zagueiro Lila foi expulso com o segundo cartão amarelo. Fato que prejudicou demais a equipe visitante, que estava bem naquele momento da partida. Quem aproveitou a expulsão foi o UNO, que tomou o controle do jogo e ainda teve tempo de ampliar no placar. O lateral Dudu pegou a sobra no cruzamento de Igor e fez um ‘ziriguidu’ na frente do defensor do Bola de Ouro e arrematou, a bola ainda desviou no zagueiro e matou o goleiro Eron, que nada pode fazer para evitar, aos 37’. Minutos depois, o árbitro Leandro Barros Nunes decretou o final da partida, em Nova Orleans 3 x 1 Bola de Ouro.


Xxxxxxxxxxxxxxxxxx A PRÓXIMA RODADA xxxxxxxxxxxxxxxxxxX
A equipe do Nova Orleans terá outro desafio em casa, na quinta-feira (9), as 20h, diante o escrete do Jardim Alegria. Ótima oportunidade para reverter o placar da estreia, em que perdeu de 3 a 1, em São dos Pinhais. Já o time do Bola de Ouro irá desafiar outra equipe de Colombo, o Bandeirantes, que é o atual líder do Grupo A.

Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxX

Nova Orleans: Rogério; Dudu, Du, Erick e Victor; Evandro, Alex, Buiu (Jean) e Giovani (Douglas); Igor (Diogo) e Alan (Aragão). Técnico: Alexandre Oliveira.

Danúbio: Eron; Everton, Lila, Taxinha e Vitão; Frango, Douglas (Chapolin), Dú e Didi; Amaral e Carlão Técnico : Ziquita.


Gols: Erick aos 3 do 2º tempo, Alex aos 12 do 2º tempo e Dudu aos 37 do 2º tempo (Nova Orleans); e Amaral aos 22 do 2º tempo. (Bola de Ouro)

__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.