Bangú vence e se classifica


O embate do último sábado (20) entre Uberlândia e Bangú, válido pela 9ª rodada da Suburbana 2014, já era uma final antes mesmo de a bola rolar, para a equipe da casa que está na parte de baixo da tabela. Partindo desta perspectiva, o time do Uberlândia foi pra cima e deixou bem visível o espirito de guerra entre seus jogadores. Mas para vencer uma batalha tem que ter muito mais que vontade, pois a técnica aliada da raça no time do Bangú foram fundamentais para o triunfo com tranquilidade do time de Santa Felicidade no Estádio Gustavo Schier, em 3 a 1.

Por Rafael Buiar

Nos primeiros minutos do embate, o time da casa já buscou os ataques, sendo que as alternativas foram pelo alto. Assim, em poucos minutos, em duas cabeçadas do Uberlândia já assustaram o goleiro Ricardo do Bangú. Mas a ofensividade do time da casa não durou por muito tempo, já que minutos depois o time visitante melhorou a sua consistência no meio de campo, com 12’ de bola rolando. Após a melhora da equipe de Santa Felicidade, o time do Uberlândia já encontrou dificuldades em criar as jogadas. Mesmo com os laterais atacando/descendo sozinhos. Enquanto isso, o nervosismo da equipe e da torcida da casa só aumentava.

Devido a este temperamento, a equipe do Bangú ganhou o meio de campo e conseguiu mais volume de jogo. Mas as principais jogadas do time visitante foram travadas várias vezes próximo da área, em que alguns momentos pecou na lentidão de seus jogadores do meio de campo. Minutos depois, o lateral Diogo do Bangú cruzou para área e parou nos pés de Gleisson, que na sequência ‘sassaricou’ na frente do zagueiro e chutou forte no canto do goleiro Bruno, que defendeu na primeira. Mas no rebote, Romarinho sozinho chutou forte sem chances para o arqueiro do Uberlândia, aos 25’ da primeira etapa.

Foto: Do Rico ao Pobre
Com o placar aberto, a equipe da casa ficou mais exposta para buscar o gol do empate. Mas o futebol tranquilo do time do Bangú aproveitou as brechas e atacou. As alternativa de ataques aconteceram, principalmente, com Romarinho, que despertou e abusou de sua velocidade entre os zagueiros do Uberlândia, que batiam cabeças. Aos 28’, depois do passe de Edmar do Bangú, o camisa 11 continuou a azucrinar a equipe da casa, pois a zaga falhou novamente. Na sequência, o baixinho danado recebeu passe enfiado na área e tocou na saída do goleiro Bruno, que nada pode fazer para evitar o segundo gol da equipe visitante.

Com o resultado positivo em 30’ de bola rolando, o time de Santa Felicidade tranquilizou e amorcegou o embate. Mesmo assim, o desequilíbrio do Uberlândia, fez com que o Bangú tivesse outra oportunidade perigosa aos 37’. Nos minutos finais, a equipe da casa até que assustou, mas em uma jogada individual do camisa 10, que chutou de longa distância, mas parou nas mãos do goleiro Ricardo, que fez ótima defesa. Sendo essa uma das poucas vezes que pegou na bola nos primeiros 45’.

Foto: Do Rico ao Pobre
2º tempoA segunda etapa na Vila formasa iniciou diferente para o time da casa, já que nos primeiros minutos já envolvia o Bangú com troque de passes. Mas a reação não aconteceu e o time visitante já mostrava novamente a superioridade na partida. Mesmo com as principais jogadas sendo de ligação direta, em 10’ da etapa complementar. Ainda sim, em jogada que é fácil de marcar, o time da casa não se encontrava em campo. Período em que muitas faltas aconteceram e que vários cartões amarelos foram aplicado pelo árbitro da partida.

Passados 20’ da etapa complementar, o embate já teve duas alterações pela equipe da casa. Mesmo assim, a lateral direita foi o principal setor em que o Bangú atacou. Diogo, o responsável pelo setor foi o destaque e agradeceu pelo espaço concebido. Mas do mesmo lado que Diogo, a equipe do Uberlândia respondeu e diminuiu. Cafu ganhou na dividida de dois zagueiros e chutou de bico sem chances para o goleiro Ricardo, que não chegou a tempo para manter o placar em 2 a 0, aos 26’.

O gol motivou ainda mais o Uberlândia, que desesperado procurou o gol do empate. Enquanto isso, o Bangú se postou defensivamente, segundo as orientações do treinador Jefferson. Mesmo assim, a equipe de Santa Felicidade conseguiu atacar com perigo em alguns momentos.  Aos 43’,  a força do empate não era a mesma, pois o Uberlândia não tinha mais pernas. Aproveitando disso, o Bangú pela direita, novamente, cruzou na medida para Adriano, que havia entrado a pouco, concluir com uma linda cabeçada e dar números finais ao embate, pois minutos depois o árbitro Cristiano Teixeira decretou o final da partida. 3 x 1 para o time visitante.

Foto: Do Rico ao Pobre
CLASSIFICAÇÃO – A derrota para a equipe do Bangú fez com que o Uberlândia entrasse na zona do rebaixamento faltando duas rodadas para o término da primeira fase. O Uberlândia soma seis pontos em nove rodadas e ocupa a décima primeira colocação, com os mesmos pontos do Combate Barreirinha. Já o Bangú, que venceu mais uma fora de casa, garantiu a vaga para a próxima fase com antecedência, com seus 16 pontos ocupando a terceira colocação na tábua de classificação. Na próxima rodada, o Uberlândia enfrenta a equipe do Nova Orleans fora de casa e o time do Bangú enfrenta em seus domínios, o vice líder da competição, o Santa Quitéra.



CONFIRA AS OUTRAS FOTOS DA PARTIDA ENTRE UBERLÂNDIA E BANGÚ

__________________________________  
FICHA TÉCNICA – UBERLÂNDIA 1 X 3 BANGÚ

Uberlândia: Bruno; Giraia, Paulo (Hugo), Guilherme e Nando; Gustavo, Roberto (Fumaca), Feijão (Cafu) e Wesclei; Raul e Ceará. Treinador: David.

Bangú: Ricardo; Diego, Valdir, Babu e Joazinho; Edmar, Gleisson, Lindomar (Kairo) e Douglas (Maicon); Betinho e Romarinho (Adriano Portela). Treinador: Jeferson

Gols: Romarinho aos 25’ e 30’ do 1º tempo e Maicon aos 43’ do 2º tempo (Bangu) e Cafu aos 26’ do 2º tempo (Uberlândia).

__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.