Quitéria e Combate ficam no empate


O desatento Santa Quitéria vacilou duas vezes e levou dois gols. Já o Combate Barreirinha não conseguiu segurar completamente sua retaguarda e também levou dois gols nos minutos finais do embate. Assim, o confronto entre Santa Quitéria e Combate Barreirinha, válido pela quarta rodada da Suburbana 2014, foi garrido e digno de uma boa representação do que é o futebol amador de Curitiba.

#Suburbana
Por Rafael Buiar

A tarde do último sábado (09) no Estádio Maurício Fruet não começou legal para o time do Santa Quitéria, já que sua equipe juvenil perdeu de 3 a 0 para o time do Combate Barreirinha. Restava à categoria adulta melhorar a tarde de seu público. Assim, o time da casa, empurrado pela sua torcida, chegou a assustar logo nos primeiros minutos da partida, com Alex Pinhais. Mas aos 5’, o Combate surpreendeu em um contra ataque e aproveitou o primeiro bate-bate de cabeças na zaga do Quitéria, abrindo o placar com o gol de Fábio, para a frustração da torcida e jogadores do time da casa.

Foto: Do Rico ao Pobre
Mesmo atrás no placar, o Santa Quitéria continuou com o maior volume de jogo, já que aplicou várias jogadas pelas laterais e pressionou o jogo com mais perigo, tomando conta do meio de campo. Porém, ainda sem obter o sucesso do último arremate. Com algumas episódicas jogadas de velocidade, o time da Barreirinha surpreendia em diversos contra ataques, principalmente, pela lateral, com os espaços propostos pelo time da casa. Passados 25’, a pressão resultou em faltas próximas da área. Em uma tarde não muito inspirada para os cobradores do Quitéria, nenhum lance, com a oportunidade de igualar no placar, foi aproveitado. Em um deles, saiu o primeiro cartão amarelo da partida, e para o time do Combate Barreirinha.

O cartão deixou o time visitante ligado na partida, pois na sequência o Combate Barreirinha já acionou a zaga do Quitéria, que novamente bateu cabeça e sofreu uma falta próxima da área. A confusão se repetiu novamente em menos de um minuto, pois em um lance atrapalhado da zaga do time da casa, igual ao do primeiro gol, o Combate quase ampliou. Lances que alertaram o sistema defensivo do Santa Quitéria e o goleiro Jonas foi obrigado a dar uma dura na zaga após mais um lance de desatenção. A briga gerou resultados, mas nada de igualar o placar. Nos minutos finais, o goleiro do Combate conseguiu espalmar um chute de longa distância e evitar o que seria o primeiro gol do time da casa. Mesmo assim, o Quitéria ainda teve mais duas oportunidades com faltas e, inclusive, uma próxima da área, não aproveitada, a qual gerou muita reclamação e mais um cartão amarelo para o Combate. Passada a cobrança desperdiçada, o árbitro Murilo Ugolini Klein encerrou a primeira etapa no Mauricio Fruet.

Foto: Do Rico ao Pobre
O segundo tempo iniciou com o time visitante melhor e bem postado dentro das quatro linhas. Posicionamento que gerou mais uma ligação direta para o ataque do Combate, que aproveitou novamente o bate-bate de cabeças entre os zagueiros do Quitéria e quase fez o segundo gol. Porém, a pressão inicial do Combate não durou por muito tempo, o time da casa reverteu e, novamente, passou a ter o controle da partida. Mas aos 17’, o Santas Quitéria novamente foi surpreendido após um escanteio pela esquerda, pois no bate e rebate a bola sobrou para Batata aproveitar e ampliar o placar, colocando mais fogo na partida. Gol que foi um baque para o time casa. Ainda assim, o Quitéria não se entregou e foi à luta. Destaque para o camisa 5 do time Quitéria, pois chamou a responsabilidade para si e foi o principal articulador para que o time não ficasse de cabeça baixa naquela altura da partida.

O divisor de águas no embate foi a dividida de cabeçadas na área do Combate, pois o time visitante deixou de ter uma boa retaguarda e os ataques do Santa Quitéria aumentaram, para a tristeza do goleiro do Combate. Com isso, a reação começou aos 30’ em uma ótima triangulação, que gerou a primeira grande chance do time da casa em diminuir no placar, com o camisa 7. Lance que motivou o Santa Quitéria, que passou a ir com mais frequência para o ataque. Sendo assim, minutos depois o time da casa diminuiu após Raul, improvisado na ‘meiuca’, dar de bandeja um lindo passe para Magu fazer o primeiro do time da casa aos 33’ da segunda etapa.

Foto: Do Rico ao Pobre
Gol que resultou em mudanças e na decisão do treinador Mario Ramos em fazer alterações na sua equipe. O troca-troca não foi suficiente para frear os ânimos do time do Quitéria, que permaneceu indo para cima, apesar de a impaciência dos jogadores e da torcida ter dificultado um pouco a chance de empatar a partida. Devido a isso, muitas faltas ocorreram neste período para ambos os times. Nos minutos finais, onde tudo parecia terminar com a primeira vitória do Combate, o zagueiro Baloi aproveitou a bola à sua frente, com o gol livre, para concluir e empatar a partida depois de um cruzamento da esquerda, aos 45’ do segundo tempo. Passados mais 8’, devido a paralisação de mais uma dividida de cabeças, o árbitro Murilo Ugolini Klein encerrou o confronto.

O resultado de 2 a 2 na partida ainda deixou o Combate Barreirinha na lanterna do certame, já o Quitéria perdeu a vice liderança e caiu para a terceira colocação. Na rodada seguinte, o time do Quitéria vai até o bairro de Santa Felicidade enfrentar o forte Iguaçu no Estádio Egíydio Ricardo Pietrobelli e o Combate joga em casa diante o Novo Mundo. 

É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.