A briga pelo acesso vai começar!


A Copa do Mundo de 2014 terminou e a seleção brasileira não foi a campeã desta edição, para tristeza, ou não, de uma nação de duzentos milhões de brasileiros. Mas a vida segue e futebol continua. Pois é, uma semana depois da finalíssima da Copa, a Divisão de Acesso do Paranaense 2014 terá o ponta pé inicial do certame. Para a nossa alegria! - amantes do futebol paranaense:

Por Rafael Buiar

A Segunda Divisão do Campeonato Paranaense de 2014 começa no dia 20 de julho, com dez equipes na ‘briga’ por uma das duas vagas que ascendem para a elite do futebol do Estado. Depois de Toledo e Cianorte serem rebaixados neste ano para a ‘segundona’, a região norte pode ter mais dois times na elite. Pelo menos é a que tem mais chances de figurar entre uma das duas vagas, já que o certame deste ano tem cinco clubes da região norte: Colorado, Junior Team, PSTC, Nacional e Apucarana Sports. As outras equipes, como Foz do Iguaçu e FC Cascavel, representam a região oeste do Paraná. Nas outras cidades do interior, há equipes isoladas, como na região sudoeste, que é representada pelo Francisco Beltrão, campeão da 'Terceirona' de 2012, a metropolitana de Curitiba, São José dos Pinhais, pelo São José e por fim, a região noroeste pelo Paranavaí.

O regulamento é simples e igual do campeonato anterior, que é dividido em três fases. A primeira, disputada em turno único,  com nove rodadas será de pontos corridos com todos se enfrentando. Depois de 45 embates, os dois últimos na classificação geral serão rebaixados automaticamente para a Terceira Divisão do Paranaense de 2015. Já os seis melhores da tábua de classificação irão para a próxima fase, que será disputada em turno e returno nos pontos corridos. Após a segunda fase, somente as duas melhores equipes na classificação irão disputar a finalíssima, em dois jogos. Além é claro, de ter garantido as duas vagas para a elite do futebol paranaense. O vencedor desta última fase será o grande campeão da Divisão de Acesso de 2014.

FOTO: Rede sul de notícias
- OS DESCENSOS DE 2013
A primeira divisão do Campeonato Paranaense de 2013 não teve um final feliz para duas equipes, pois Paranavaí e Nacional foram rebaixadas. A equipe do noroeste do Estado, que até ano passado era o último 'caipira' campeão paranaense, foi rebaixado com o 11º pior desempenho do estadual. Ao todo, foram 18 pontos conquistados em 22 jogos disputados. Números que resumem bem a campanha do Vermelhinho, que teve cinco vitórias, seis empates e 12 derrotas.  O insucesso da campanha talvez se explique pelo segundo pior ataque da competição, 17 gols.  Mesmo assim, o Vermelhinho é considerado como uns dos favoritos para o acesso deste ano. A equipe tem no comando o já considerado ‘patrimônio do Campeonato Paranaense’, Lio Evaristo, que leva a sua trupe para pelo menos figurar entre as duas vagas. O Vermelhinho é o time que mais vezes conquistou a Divisão de Acesso dos times que disputarão em 2014, ao todo foram três vezes que o povo de Paranavaí soltou o grito de campeão, a última sendo em 1992.

Não muito diferente dessa perspectiva, a equipe de Rolândia, o Nacional, tem o mesmo desejo em retornar a elite. Porém, com um propósito pouco diferente do ACP, apagar de vez da memória a péssima campanha do ano passado, que o levou ao rebaixamento como pior desempenho de 2013.  Ao todo, o NAC fez apenas seis pontos de 22 jogos disputados. Ou seja, venceu apenas uma e empatou outras três. Números que não representam a história de um dos clubes mais antigos do norte do Paraná. O Guerreiro do Norte será comandado por Claudemir Pontin, treinador que teve ótimo desempenho em categoria de base nos clubes que passou.  Claudemir tem a missão de repetir o que aconteceu em 2003 e 2008, temporadas que o NAC conquistou o acesso à elite do futebol Paranaense.

FOTO: Assessoria do Nacional
- OS ASCENSOS DE 2013
Diferente de Paranavaí e Nacional, FC Cascavel e São José tiveram finais felizes em 2013 com a realização de objetivos alcançados. A equipe do FC Cascavel foi incontestável a melhor do certame da Terceira Divisão do ano passado, pois garantiu o acesso com duas rodadas de antecedência. Ao todo, a equipe do Ninho da Cobra teve 21 pontos dos 10 jogos disputados. No geral, o time Aurinegro teve seis vitórias, três empates e apenas uma derrota. O fator principal para está perfeita campanha se resume na defesa do FC Cascavel, pois sofreu apenas oito gols em todo o campeonato. O time em 2013 foi comandado pelo Gilberto Papagaio, que já conquistou vários acessos no estado do Paraná. Agora, neste ano de 2014, o FC Cascavel conta com o trabalho do treinador Paulo Foiani para brigar pelo acesso e repetir o final de ano de 2013.

A outra equipe que conquistou o acesso para a segunda divisão no ano passado é do município de São José dos Pinhais, o São José. Polêmica ou não, a campanha do São José foi a segunda melhor do certame. O saldo que era negativo antes da partida iniciar ficou positivo depois da goleada de 6 a 0 no Grecal de Campo Largo, na última rodada da primeira fase. Com isso, a diferença em relação ao terceiro colocado ficou de apenas um gol, pois enquanto o São José teve 4, o Pato Branco teve 3. E olhe que o Pato Branco ainda venceu o já classificado FC Cascavel, sendo essa a única derrota do time do Ninho da Cobra.  Ao todo, a equipe de São José dos Pinhais teve 17 pontos em 10 jogos disputados, com cinco vitórias, dois empates e três derrotas. A de ressalvar que esse foi o mesmo desempenho do Pato Branco, o terceiro colocado. Na final, o time do São José não teve a mesma sorte que a do último jogo, pois perdeu os dois jogos para o FC Cascavel. No jogo de ida de 2 a 1 e na volta de 3 a 0. Agora, neste ano os trabalharam começaram cedo, mas as vésperas do início do certame o time ainda segue sem treinador.

FOTO: Luciano Neves/Gazeta do Paraná
 - OS REMANESCENTES
Dos clubes que continuaram na Divisão de Acesso, o destaque maior fica para as equipes que ficaram no quase. Ou seja, o terceiro (Colorado) e quarto colocado (Cincão, que hoje é Apucarana Sports) do ano passado.  Equipes que ficaram sempre alternando entre a segunda e terceira colocação durante todo o campeonato, mas no final foi a equipe do Prudentópolis que ficou com a vaga. Agora para este ano, o time da cidade que faz divisa com o Estado de São Paulo, o Colorado, espera manter a boa fase que vem passando nos últimos dois anos. Com isso, a equipe fechou uma parceria com o Guaratinguetá de São Paulo para figurar de vez em uma das duas vagas, mas ainda o time Avirrubro segue sem treinador. Diferente do Colorado, o antigo Cincão, que recentemente fez uma fusão com o Roma de Apucarana, passa agora a se chamar de Apucarana Sports. Sendo assim, a mais nova equipe do futebol paranaense. Além de ter a base do time que jogou no ano passado pelo Cincão, o Apucarana Sports será comandado pelo já conhecido do Futebol paranaense, Gilberto Papagaio.

Além das duas equipes que ficaram no quase no ano passado, as outras equipes do certame tem que ficar com os olhos bem abertos para a equipe do Foz do Iguaçu. O time da fronteira terá a base formada por atletas do Prudentópolis e do atual vice-campeão da ‘primeirona’, o Maringá.  O Foz do Iguaçu será comandado pela dupla de técnicos Ivair Cenci e Joel Preisner, que conquistaram o título do interior neste ano pelo Prude. O outro time que já foi campeão da Divisão de Acesso é o Francisco Beltrão, que terá como treinador o já conhecido, como jogador em várias equipes do futebol paranaense, Paulo Miranda. A equipe tem o objetivo de igualar a façanha de 2000 (Iraty) e 2002 (Paranavaí), em que foi campeão. Já o quinto e sexto do ano passado, Junior Team e PTSC, recentemente saíram da cidade de Londrina para respirarem novos ares em outras cidades, Sertanópolis e Cornélio Procópio, respectivamente. Ambas as equipes ficaram no 'meiúca' da tabela nos últimos dois anos. Para este ano,  as equipes terão outra perspectiva, sonhar com o acesso para a elite do futebol paranaense.

FOTO: Prefeitura de Colorado
- OS ESTÁDIOS
Há tempos o futebol paranaense não tem um bom público, já que a média dos últimos campeonatos disputados não foram altas. Salvo as equipes que tem tradição nas torcidas, como: Atlético, Coritiba, Paraná Clube, Londrina e outros times da elite que em alguns jogos tiveram um bom público. Mesmo assim é pouco para um campeonato de futebol de 100 anos. Por isso, o Do Rico ao Pobre acredita que o certame deste ano não terá uma boa média de público. Não é pessimismo, mas das 10 equipes que estão no certame somente o Paranavaí pode chegar perto das equipes da primeira divisão. Os estádios com maior capacidade da Divisão de Acesso são municipais, o Estádio Municipal Waldemiro Wagner que tem capacidade de 25 mil lugares será com mando do Paranavaí. Na sequência, o Estádio Municipal Anilado (Francisco Beltrão), com 12 mil lugares e o Estádio Municipal Bom Jesus da Lapa, com 11 mil lugares, com mando do Apucarana Sports.

Assim, tirando os estádios do Paranavaí e do Apucarana Sports, as demais equipes não terão mais palcos com mais de sete mil lugares. Em ordem decrescente, fica: o Estádio do ABC  (Foz do Iguaçu), com 9.500 lugares; o Estádio Municipal Ubirajara Medeiros (PTSC), com 6 mil lugares; o Estádio Municipal Doutor Tancredo Neves - Pinhão ou Xingui, (São José), com 5.200 lugares; o Estádio Municipal Theodoro Colombelli - Ninho de Cobra (FC Cascavel), 2.500 lugares; o Estádio Municipal Éxaro Menck (Junior Team), com três mil lugares; Estádio Municipal Olímpico Erich George (Nacional), com 2.200 lugares e com menor capacidade o Estádio Municipal Francisco Borges (Colorado), com a capacidade mil lugares.


FOTO: Leila Lucas de Lima/Assessoria de Comunicação do ACP
- A SEGUNDA DE 2013
A Divisão de Acesso do ano passado terminou com o Maringá como campeão e o Prudentópolis como vice. Ao todo, foram disputadas mais de 70 partidas em todo o campeonato. Dentre os confrontos, o time que mais marcou gols e venceu foi o Maringá com 36 gols e 16 vitórias. Ao contrário disso, o pior ataque e o time que menos venceu também foi da cidade de Maringá, o Grêmio Maringá com 6 gols e nenhuma vitória. Agora, diferente em relação a artilharia pesada, o time que teve a retaguarda menos atingida foi a equipe do Francisco Beltrão com 8 gols, enquanto a mais vazada foi a do PTSC com 25 gols, que sofreu duas goleadas (4 a 0 e 4 a 1). Com isso, o time, que hoje manda os seus jogos em Cornélio Procópio, sofreu 10 derrotas em todo o certame.

Dos 77 embates corridos, 45 % (35 jogos) dos times que jogaram em casa venceram e 26% (20 jogos) terminaram empatados. Na maioria dos jogos, sendo mais preciso, 64% dos jogos, tiveram menos de 3 gols. Agora, com três ou mais teve 29% (22 jogos). Sendo assim, a média de gols foi de 2.21 por partida. O resultado mais comum na segunda divisão do Paranaense de 2013 foi 2 a 1, que repetiu em nove jogos. Resultado que aconteceu no embate que teve o maior público do campeonato, 4.846 pessoas no Willie Davids, para assistirem Metropolitano 2 x 1 Prudentópolis (2º jogo da final.

FOTO: Ivan Amorim / Gazeta do Povo
- CURIOSIDADES
Dentre os clubes que disputarão o certame deste ano, três times foram os que mais venceram a Divisão de Acesso. O time do Paranavaí foi Três vezes e Francisco Beltrão e Nacional de Rolândiaduas duas vezes cada um. Em relação a idade, o certame deste ano tem alguns vovôs, como o Paranavaí, fundado em 1946 e o Nacional de Rolândia, fundado em 1947. Já os caçulas são três, o mais novo é  Apucarana Sports, fundado neste ano, o do meio é o São José de 2008, já o caçula mais velho é o Junior Team, fundado em 2001. As demais equipes foram fundadas entre a década de 1990 e 2000.  

__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.