Em duelo de felinos, o Tigre supera o Leão da Estradinha e conquista o Título do Interior de 2014


O Prude que não parou em nenhum momento, desde o início do ano, continuou treinando forte para a conquista do Título do Interior de 2014. Empenho que resultou em duas vitórias sobre o Rio Branco (2 a 1 e 1 a 0). Resultados que fizeram a equipe com o menor orçamento do Campeonato Paranaense de 2014 erguer o Título do Interior pela primeira vez.

#CRÔNICA
Por Rafael Buiar

A equipe do litoral paranaense buscava o terceiro título do interior, o último foi há 14 anos, mas para essa conquista concretizar-se o Leão da Estradinha precisava vencer por mais de um gol o Prude. Enquanto a equipe da casa, que não tem nenhum Título do Interior, só um empate já o bastava para erguer a primeira vez o caneco. Com bola rolando, as primeiras investidas do confronto foram do time visitante, com Jhonata Fumaça, o destaque do time na primeira fase no campeonato. Mas em jogada de contra-ataque, o Tigre surpreendeu e foi parado com falta dentro da área. Lance que o árbitro não assinalou nenhuma irregularidade e mandou seguir a peleja, aos 6’. Depois de contestar a falta dentro da área, o Prude melhorou na partida e iniciou os ataques contra a meta do goleiro Thiago Rodrigues. Passados os minutos de turbulência do Leão da Estradinha, o confronto ficou mais equilibrado, pois a equipe visitante aumentou o seu volume de jogo e partiu para furar o bloqueio da equipe adversária, em que procurou igualar a partida no placar agregado.

Foto: Diogo Monteiro
Na marca dos 20’, o Leão da Estradinha esteve bem melhor na partida e pressionou em vários lances, principalmente, de bola parada, mas nada de concretizar em gol do Rio Branco. Com isso, o Tigre ficou esperto e atacou novamente nos contra-ataques para dar o bote certo, mas nenhum lance chegou a meta do goleiro Thiago Rodrigues, que pouco fez de baixo da ‘baliza’. A culpa do sossego do goleiro do Rio Branco foi devido o time do litoral paranaense dominar a partida, em mais de meia hora de bola rolando’. Assim, Jhonata Fumaça e Marquinhos foram os destaques do time de Paranaguá e da partida na primeira etapa. E para estar perfeito no time do Rio Branco, só faltava o gol, mas a marcação do Tigre foi forte e não permitiu espaço para as finalizações das jogadas. Com isso, nos minutos finais, o Prudentópolis pouco fez para agredir o time visitante e só se fechou até o apito final da primeira etapa do árbitro Rogério Menon da Silva.

A segunda etapa que iniciou sem substituições foi movimentada logo no primeiro minuto, pois a equipe da casa conseguiu marcar o primeiro gol. Gol que o bandeirinha assinalou impedimento, para a fúria da torcida do Prude que comemorou muito. O gol anulado motivou ainda mais o time da casa, que demonstrou estar melhor taticamente em relação a primeira etapa. Passados dos 10’, o Rio Branco, que já não era o mesmo, só tinha chutado uma vez. Assim, o destaque da equipe do litoral passou a ser o goleiro Thiago Rodrigues, que fez uma linda defesa no chute de Casimiro. Com isso, a segunda etapa ficou movimentadíssima e não demorou muito para sair o primeiro gol da noite. Dito e feito, o Prudentópolis abriu o placar, com Thiago Henrique aos 21’, depois do cruzamento de Wellingthon, e ampliou a vantagem no placar agregado, Prude 3 a 1. O gol mostrou bem como a equipe visitante se comportou na etapa complementar, principalmente, a zaga do Rio Branco que bateu várias vezes a cabeça e proporcionou lances bizarros que quase geraram outros gols.


Foto - Geraldo Bubniak
Com o placar a frente, a equipe da casa continuou com mais volume de jogo. Porém, o time do Rio Branco, ainda assustava tentando surpreender em vários contra-ataques de velocidade. A partir dos 30’ da segunda etapa, o torcedor do Prude já gritava mais alto: “É Campeão, É Campeão, É Campeão, É Campeão...”. Gritos que deram um pouco mais de injeção para o Jhonata Fumaça, que não quis sair por que estava devendo para o torcida. Mas o atacante que está quase certo com um clube da capital, perdeu a oportunidade de empatar aos 36’. Depois disso, o jovem atacante caiu de produção e conseqüentemente o time também caiu. Assim, nos minutos finais, as ações ofensivas na partida continuaram em menos volume com a equipe do Rio Branco, que ainda persistia, acreditando no empate e na virada para levar o confronto na decisão por pênaltis. Mesmo assim, a torcida da casa continuava a gritar “é campeão” e ainda acrescentou mais um grito, o de “acabou juiz”. Com isso, a aflição dos jogadores do time do litoral só aumentava. Por isso a pressão imposta pela equipe visitante não foi o suficiente para sequer empatar a partida, e pior, sofreu várias vezes o susto de levar o segundo gol. Segundo gol que não foi necessário, pois o árbitro encerrou a partida aos 48’ e decretou o primeiro título do interior para o Prudentópolis, que faturou 50 mil reais da Federação Paranaense de Futebol.

__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.