Luis Maximo: O sonho do profissional


O Do Rico ao Pobre inicia mais uma série, "Histórias da Suburbana". A ideia partiu de um quadro do programa de rádio Web, o Arquibancada. A primeira entrevista foi com Luis Maximo, um jovem goleiro de 20 anos que tem muitos sonhos. Dentre eles, o camisa um do Operário Pilarzinho destacou um. Confira e descubra qual é...
Por Rafael Buiar

O sonho de ser jogador de futebol é atingido, hoje, por quase todas as crianças do mundo. Por isso, muitos garotos decidem tomar este rumo como profissão logo cedo. Assim, não precisa ser do ramo para entender que tem muitas etapas para chegar ao profissionalismo. Dentre as etapas, destacamos, hoje, o futebol amador de Curitiba. Claro, não poderia ser diferente: pois os jogadores que tem esta vontade de ir adiante na carreira como atleta, também estão presentes na Suburbana. A meta de chegar às equipes profissionais anima principalmente os jogadores mais jovens, em que o principal objetivo é a fama e recursos financeiros de alta proporção.

Objetivo esse que é do jovem Luis Maximo, que logo aos 13 anos de idade, começou a sua trajetória no futebol. Sim, um pouco fora do comum, explica o goleiro. "Na verdade comecei no salão, jogando na linha. Mas eu, pela altura, quando faltavam goleiros nas coletivas, eu ia ao gol. E acabei gostando. O Meu irmão Flávio, que jogava na base do Malutrom começou a me treinar. Então, ai que fui para a posição de goleiro.".

Com os anos passando, o sonho ainda persistia na cabeça de Luis, mas ganhou outra cara em 2010. Em que trocou as quadras pelos gramados esburacados da Suburbana. Fato esse que ajudou, e ajuda até hoje, na sua experiência, já que atualmente, o futebol amador de Curitiba é considerado semiprofissional, devido a alta qualidade dos atletas. Assim, crescem as chances de chegar à condição de jogador profissional. "Uma experiência boa, pois o tamanho é diferente, a batida na bola, o quique, os fundamentos que difere do futsal para o campo. Mas é importante, tanto pra linha quanto para o gol ter essa base do futsal. Até porque, a maioria dos amadores tem condições de jogar no profissional. Muitos são ex-profissionais, alguns de clubes grandes. Então, o amador de Curitiba é um nível altíssimo.", salienta Luis.

Partindo deste cenário, observamos que a Suburbana é considerada, hoje, como um ‘mercado reserva’ para o futebol profissional. Pois, quase a metade dos jogadores que atuam no futebol amador de Curitiba, já tiveram alguma experiência profissional. Na equipe do Operário Pilarzinho, não é diferente. "Os jogadores que foram profissionais aqui no Pilarzinho sempre peço dicas, o caminho a ser seguido. E na Suburbana, o pessoal faz isso, muitos recebem uma boa grana jogando e trabalhando durante a semana. Isso que é o bacana da Suburbana. Agora, eu estou abdicando de trabalhar, só para focar nos treinamentos, que são de manhã e a tarde.". Destacou o arqueiro.

O sonho de Luis Maximo é comum neste mundo futebolístico, pois na história do futebol amador existem diversos casos semelhantes. De atletas que saíram do amador e vestiram a camisa de times profissionais. Exemplos como o treinador do Atlético Mineiro, Cuca, revelado pelo Iguaçu de Santa Felicidade. O zagueiro Juninho, que saiu do Combate Barreirinha e foi para o Coritiba. Nos primórdios da Suburbana teve Dirceu Krueger, que jogou no União Ahú, chegou ao Coritiba e, hoje, é uma figura muito reverenciada pelos amantes do futebol.
Histórias que só alimentam ainda mais o sonho do jovem goleiro, que hoje com 20 anos, tem uma idade alta para os parâmetros do futebol profissional. Mesmo com os empecilhos a sua volta, Luis não desmotiva, pois o camisa um tem o total apoio dos familiares e do Operário Pilarzinho. Conforme comentou o arqueiro, "Um grande apoio da minha família, dos meus irmãos. Sempre que podem eles vem aqui no Bortolo Gava acompanhar os jogos. Apoio da família 100%, meu tio Vavá, que foi campeão pelo Coxa em 85 tem me ajudado muito. Dando a maior força para chegar ao profissional. O Betinho e Jaime, diretores. Todos me apoiam, quando eu preciso de algum auxilio."

O jovem guarda-redes tem muito a caminhar pela frente, mas uma trilha sonora ele já ganhou. É a música Goleiro, que retrata bem o que Luis Máximo deve seguir para continuar firme na carreira. Por isso, o blog Do Rico ao Pobre reforça o pedido de Jorge Ben Jor, que disse: "Eu vou lhe avisar, goleiro não pode falhar e não pode ficar com fome na hora de jogar. Senão, um frango aqui, um frango ali, Um frango acolá...".

Escute a entrevista  do goleiro para o Arquibancada #01:

Currículo de Luis Máximo:

05- Coritiba; 06- Coritiba futsal; 07- Atlético Clube Recife; 08- Coritiba futsal, Parana Armac; 10- Operario Pilarzinho (Juvenil e Junior); 11- Combate Barreirinha (Junior); 12-Operário Pilarzinho (Junior); 13- Operario Pilarzinho (Adulto).


__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.