Sabores do Atletiba 358

No último domingo (6), aconteceu mais um capítulo na história do confronto dos mais tradicionais clubes do estado do Paraná, Atlético e Coritiba. O embate foi realizado na Vila Capanema, válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Competição em que os times vivem momentos diferentes, pois o Atlético que venceu o clássico de 2 a 1 está na briga por uma vaga no G4, já o Coritiba, que sofreu a terceira derrota seguida, vive uma constante queda na tabela, a beira da Zona do Rebaixamento. 

Por Rafael Buiar

O Atletiba 358 aconteceu em “campo neutro” foi rodeado de ingredientes interessantes, mas o sabor final não foi igual para as duas equipes. Olha só, no caso do Coritiba, que foi derrotado, o gosto da mistura terminou com o gosto amargo. Mesmo apresentando uma melhora (coletivamente) no seu futebol, em relação aos jogos anteriores. Analisando que Péricles Chamusca só esteve no seu segundo jogo, podemos considerar isso com uma luz no fim do túnel. Pois é, veremos nas próximas rodadas.

Os atletas que estiveram no embate pelo lado alviverde, eu destaco negativamente a presença de dois, Escudero e Bill. Recomendo a não utilização deles na próxima receita do Coritiba, caso contrário, terá problemas de má digestão. Fica o aviso, Péricles Chamusca. O outro fator a destacar foi os poucos chutes da equipe coxa-branca. Além do pênalti, cobrado por Julio Cesar, tiveram mais outros dois chutes. Este número é extremamente pouco para um time que quer vencer.

Albari Rosa / Gazeta do Povo
Já o Atlético, que foi ao clássico após duas derrotas seguidas – Vitória e Grêmio, mas muito confiante devido a fase do rival, não apresentou um bom futebol. Mas com certeza, gostou do sabor final, em que o paladar rubro-negro ficou com gosto doce da vitória diante o seu maior rival. A vitória iniciou em jogada individual de Marcelo, que por fim, encontrou o maestro ou o iluminado do dia e do time Rubro Negro (Paulo Baier) empatar. Na sequência, o camisa 10, cobrou uma falta perfeita, sem chances para o goleiro Vanderlei. Com dois gols de Paulo Baier, esse pode ter sido o primeiro e único clássico que o meio campista foi decisivo, já que não renovará com o Furacão em 2014.

Mas como no Coritiba, no Atlético também tem alguns jogadores que não atuaram como o esperado, caso de Éderson, que só não saiu por que é o artilheiro do Campeonato e do zagueiro Dráusio, que perdeu a maioria dos combates com o “majestoso” Julio Cesar. Por fim, o Atletiba 358 não foi diferente da lógica. Venceu quem está melhor na tabela, neste caso, a equipe da Baixada que agora está na terceira colocação com 44 pontos.

Foto: Gustavo Oliveira / Site oficial do Atlético-PR
Acredito que esta vitória serviu como animo para os próximos confrontos na tabela de ambos os clubes paranaense  Mesmo sabendo que a equipe do Alto da Glória tem jogos duríssimos, contra equipes que estão no topo da tabela. Diferente disso, o Furacão, tem uma tabela mais amiga. Assim, pode apreciar várias vezes esse gostinho de doce e conquistar a vaga do torneio continental, a Libertadores da América.
________________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.