Aqui é Suburbana - União Nova Orleans x Operário Pilarzinho

O futebol amador de Curitiba – mas conhecido como a Suburbana, teve quatro jogos na tarde de sábado (28), que foram válidos pela terceira rodada da segunda fase da competição. Dentre esses jogos, o Do Rico ao Pobre, acompanhou o confronto disputadíssimo de União Nova Orleans e Operário Pilarzinho, no Estádio José Drulla Sobrinho, que terminou na vitória do time da casa em 2 a 1.

Por Rafael Buiar

A preliminar do confronto principal foi disputada entre a piazada do UNO e Capão Raso. Vitória com folga do time da casa, no placar de 3 a 1. No final desta partida, a chuva apareceu dando o ar graça. Deve ser por isso, que o confronto seguinte iniciou com sete minutos de atraso. Com a bola rolando, o início do duelo foi bastante movimentado, principalmente para o time do Nova Orleans, que tinha a bola nos pés, mas muito afobado perdia facilmente as jogadas. Assim, o Operário Pilarzinho, mais calmo, tocava a bola consciente. Deste modo, aos noves minutos, em um contra ataque, com toques envolventes, o time visitante abriu o marcador com um cruzamento na medida para Willian Pablo, que concluiu de cabeça no fundo da redes. Minutos depois, o UNO, quase levou o segundo.

Passado a euforia do gol do Pilarzinho, o time da casa chutou várias vezes de longa distância na meta do adversário, já que o gramado estava molhado, mas todas pararam nas mãos do jovem goleiro, aos 16 minutos de jogo. Diferente disso, quando os jogadores de ambos os times tinham a bola nos pés, na maioria das vezes foram paradas por faltas. Fato que travou muito a partida neste período. Por isso, o clima do jogo esquentou, já que muitas reclamações aconteceram, principalmente, em relação ao critério do árbitro. Mesmo assim, as jogadas mais perigosas neste momento foram do time do Pilarzinho, que abusava da velocidade nos contra ataques. Devido a isso, o treinador da equipe do Nova Orleans promoveu a primeira mudança. Sacou Marcelo, que saiu chateado, e entrou Fábio, camisa 18. A troca surtiu efeito, já que lances de perigo contra a meta do goleiro do Operário aconteceram com mais frequência, principalmente pelo lado esquerdo. Pressão, que durou até os 38 minutos da etapa inicial, pois Giovani (camisa 7) empatou com um chute colocado no cantinho, jogada que iniciou com a camisa 18. 


Com o placar empatado em 1 a 1, a equipe da casa colocou o seu jogo em pratica e continuou atacando. Com isso, seu meio de campo ficou exposto e proporcionou alguns ataques do Pilarzinho. Mas não foi isso que chamou a atenção no final do primeiro tempo. Sim, as expulsões, uma para cada lado. Com muita reclamação, o árbitro André Eduardo Fey, reiniciou o jogo após cinco minutos de paralisação. Um minuto depois decretou o fim da etapa inicial, no placar de 1 a 1.

Novamente com atraso, o segundo tempo começou com o Nova Orleans no ataque. Passados os cinco minutos iniciais, o Pilarzinho se postou melhor defensivamente e equilibrou o embate, em que dificultou a saída de bola do UNO. Aos 10 minutos, aconteceu a segunda mudança no time da casa. Saiu o camisa 10, que foi o destaque no primeiro tempo, e no seu lugar entrou o camisa 16. Mudança que foi feita para repor o meio de campo, já que tinha muita dificuldade para criar jogadas.

Aos 15 minutos, a chuva que tinha parado no final do primeiro tempo, apareceu outra vez. Dessa vez, esteve mais forte, prejudicando ainda mais o toque de bola de ambos os times. Assim, o Operário Pilarzinho aproveitou o momento para chutar de longa distância. Fato que animou os torcedores da Camisa 12 - Torcida organizada do Operário Pilarzinho, que estavam presente no José Drulla Sobrinho.  Devido a isso, o treinador do UNO, fez várias orientações a beira do gramado para seu time. Assim, o time da casa colocou a bola no chão e organizou melhor as jogadas. Próximo dos 30’, depois da chuva acalmar, o embate fico movimentado e com muitas faltas para ambos os lado. A maioria aconteceu no meio campo e, em uma dessas, a equipe da casa fez uma jogada coletiva, que iniciou com o camisa 15, Matusalém, e terminou com o gol de cabeça de Aragão, mas conhecido como Cachorrão. Placar ficou em 2 a 1 para o time da casa.


Após o gol que resultou a virada do UNO, muita pressão do time do Tricolor. Porém, sem muita objetividade. Passado essa afobação do time visitante, Giovani do Nova Orleans, chamou a responsabilidade, mas sempre foi parado na marcação. Por causa do número alto de faltas e pelo atendimento dos jogadores, o árbitro deu quatro minutos de acréscimos, minutos depois acrescentou mais dois. Tempo que não foi suficiente para o time visitante mudar o placar, que terminou em 2 a 1 para a equipe do UNO. Vitória que foi comemorada muito pela torcida e atletas do Nova Orleans, que agora divide a liderança do grupo com o Trieste.

Confira ALGUNS lances da partida:


________________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.