Aqui é suburbana - Bangu x Combate Barreirinha


A segunda fase da Suburbana iniciou no último sábado (14), com quatros jogos. Dentre esses duelos, aconteceu o confronto entre Bangu e Combate Barreirinha, no Monte Bérico - Santa Felicidade. E como o “pré-escrito”, foi o mais emocionante da rodada, já que o embate foi digno de muito equilíbrio entre as equipes.Mesmo assim, o time visitante levou três pontos para o bairro Barreirinha.

#FUTEBOL AMADOR
Por Rafael Buiar

A preliminar do jogo do adulto não foi muito feliz para o time da casa, já que o Banguzinho perdeu para o Combate. Enquanto terminava o jogo da piazada, o público se acomodava nos arredores do Monte Bérico, que por sinal, um simpático campo. Com bola rolando, o time da casa deu o ponta pé inicial, mas foi o visitante que se pôs ofensivamente nos primeiros minutos, mas conhecida como: a marcação em pressão. Assim, dificultando a saída de bola do Bangu, mas a equipe da casa tinha uma saída, o contra-ataque. 

1ª rodada – 2ª fase – 1º Turno (Série A)
BANGÚ 2 x 3 COMBATE BARREIRINHA
Passados 10 minutos, o embate ficou preso na meia cancha. Resultado, nenhuma equipe tinha chutado para o gol. Mesmo assim, com poucos minutos de bola rolando, o destaque foi o camisa 11 do Combate Barreirinha, Jonatas. O atacante puxou a responsabilidade, em que quase 100% das jogadas saiu dos seus pés. Desta forma, aos 21 minutos da primeira etapa, Fumaça, como foi chamado por alguns torcedores, abriu o placar em uma jogada individual. Ganhou na corrida do zagueiro e quando esteve próximo do gol, chutou cruzado, sem chances para o goleiro Japa do Bangu.

Após o gol, Combate tomou conta do meio de campo, consequentemente do jogo. Por isso, a equipe do Bangu teve muita, mas muita dificuldade de criar jogadas. Diante disso, os torcedores que estavam presentes no Monte Bérico, demonstraram insatisfação com o time, em meia hora de jogo. Aos 35 minutos o jogo mudou de ritmo, pois o time da casa avançou a marcação e ficou rondando o campo do Combate Barreirinha. Com isso, Bangu melhorou e conseguiu uma falta dentro da área. Claro, aquele dilema, “qual pênalti não tem reclamação”. Assim, contestado por muitos jogadores do Combate Barreirinha. Pênalti que foi convertido pelo artilheiro Luizinho, que fuzilou no meio do gol, sem chances para o camisa 1 do time do Barreirinha, Danilo.


Gol que motivou time e torcida do Bangu, já que o volume de jogo aumentou para a equipe da casa, após o gol de empate. Jogadas que na maioria das vezes, foram paradas com faltas. Devido a isso, o jogo mudou de comportamento. De calmo, passou para nervoso nos minutos finais da primeira etapa. Com isso, o Bangu que não foi bobo e nada, aproveitou o momento do jogo para virar a partida aos 43 minutos, com um chute de longa distância na mosca de Eduardo, sem chances para o goleiro do time do Barreirinha. Placar de 2 a 1 que foi até o apito final do primeiro tempo do árbitro.

COMBATE BARREIRINHA: Danilo, Fábio (Edmilson), Paulo Sérgio, Luciano e Caio (Nicolas), Bruno, Zé Nunes, Juninho e Fekipe, Marcelo Tamandaré, Jonatas (exp) – Técnico: Cleverson Sagaz
Mesmo com o placar na frente, a equipe do Bangu fez mudanças para a segunda etapa. Os minutos iniciais da etapa complementar já eram diferentes do primeiro tempo, pois esteve equilibrado. Mas novamente, o camisa entrou em ação com jogadas em velocidade e assustou várias vezes o goleiro japa do Bangu. Devido a isso, o time da casa, com outra tática, abusou dos contra-ataques, em que algumas oportunidades estiveram cara-a-cara com goleiro Danilo. Mas todas desperdiçadas. Mas no futebol é assim, quem não faz toma. Então, foi o que aconteceu com a equipe do Bangu, que atacou, atacou e não aproveitou.

Minutos depois, em um contra-ataque, a equipe do bairro Barreirinha teve a oportunidade de empatar, já que um dos atacantes sofreu falta dentro área. Digamos que este pode ter sido o fator crucial para vitória do Combate, pois o zagueiro da equipe da casa foi expulso. Após as discussões, o jogo retomou, Marcelo Tamandaré cobrou a penalidade e perdeu. Mas não durou muito para o placar mudar, já que cinco minutos depois, o Combate Barreirinha com um a mais furou o bloqueio do time adversário e empatou com Marcelo Tamandaré, aos 35 minutos da etapa final. Logo na sequência, em outro contra-ataque, novamente o camisa 10 do time visitante faz outro gol, desempatando a partida em 3 a 2 para o Combate.

BANGÚ: Japonês, Eduardo, Leandrão(exp), Samuca(exp) e Marco Aurélio(exp), Nivaldo (Douglas), Betinho, Joãozinho e Valdir, Luizinho e Adriano Sagui (Everton) – Técnico: Jeferson Souza
Após o terceiro gol do time visitante, muita reclamação. Com isso, mais duas expulsão no time do Bangu. Alguns minutos de jogo paralisado, o confronto reiniciou. Mas não demorou muito para outra confusão generalizada acontecer no campo do Monte Bérico. Assim mais uma expulsão aconteceu. No total, quatro expulsões na partida (Bangu 3 x 1 C. Barreirinha). Com o jogo novamente em andamento, o Bangu, foi quem pressionou nos minutos finais, mas se já era difícil com 10 jogadores, com três a menos piorou. Assim, o árbitro decretou o final a partida, que terminou com o placar 3 a 2, para o Combate Barreirinha.

__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.