O Metro de Maringá é de primeira

A cidade de Maringá ficou cinco anos sem um clube representante na elite futebol do Paraná, a última vez que isto aconteceu foi quando ainda existia o Adap/Galo Maringá. Agora, para temporada 2014, o time do Metropolitano assumirá este cargo, de clube da cidade canção, já que conquistou o acesso junto com o Prudentópolis. Ambos os times decidem o campeonato neste domingo (25), às 16 horas no Estádio Willie Davis, em Maringá.

#CLUBE
Por Rafael Buiar

Escudo oficial mudado em 2013
A equipe do Metropolitano foi criada em 2010, a partir de um time de categoria de base, o Alvorada Club, com o intuito de ser um clube do povo da cidade Canção. O último clube a demonstrar esta tradição de futebol local na região, foi o Grêmio Maringá nas décadas de 60 à 80. Época que bateu de frente com clubes da capital paranaense, junto com o Londrina. Por isso, o embate entre as duas equipes foi denominado em “Clássico do Café”.

Após alguns anos de inatividade na elite, a cidade do norte do Paraná passou a ter um clube de futebol movido pela paixão e, não, pela busca de enriquecimento. No seu primeiro ano de vida, o Metropolitano conquistou o título da 3ª Divisão do Paranaense, com o comando de Ivair Cenci, que consagrou-se campeão diante a equipe do Iguaçu/Agex, da cidade de União da Vitória. No ano seguinte, com nova diretoria e outra parceria – Grupo de investidor, CR Sport, o Metro disputou a Segunda Divisão do Campeonato Paranaense, mas o acesso bateu na trave. Logo na primeira tentativa, já que perdeu na soma dos confrontos com a equipe do Toledo, com a diferença de um gol. Neste ano, subiram Londrina e Toledo.

Foto: Luciano Junior - Lufa Comunicação
Com o clube em ascensão no futebol paranaense, o investimento melhorou e sonhos maiores foram almejados. Por isso, a diretoria do Metropolitano investiu mais na estrutura. Mesmo assim, as temporadas seguintes foram turbulentas e a classificação não foi das melhores, já que ficou duas vezes no meio da tabela, em 2012 chegou a brigar contra o rebaixamento para a 'terceirona', mas o tricolor escapou.

Em 2013, os resultados mudaram e o nome também. O time maringaense tirou o “Grêmio” do nome, alterou escudo e até criou um mascote, a Zebra. A troca na alcunha foi por causa do nome sempre gerar transtornos, desde cobranças de Aurélio Almeida, presidente do Grêmio Maringá - que ameaçou entrar na Justiça, pois afirmava ter direito sobre a marca Grêmio no Município.

Foto: Divulgação
Com muitas mudanças no plantel e na identidade  a campanha na Divisão de Acesso 2013 na primeira e segunda fase foi quase perfeita, pois a equipe do Metropolitano perdeu apenas uma vez durante a competição – sem contar a última partida contra o Prudentópolis. Desta maneira, com bons resultados, a equipe de Maringá foi a que teve o melhor ataque da competição (32 gols e o artilheiro do campeonato, Cristiano) e a defesa menos vazada, apenas 12 gols. Devido a isso, a média de público na Divisão de Acesso da Zebra, foi a melhor entre as equipes que disputaram a competição, com 6.902 no Hexagonal final. 

Alguns jogadores que figuraram no time do Metro na conquista da vaga para elite, já eram conhecidas no futebol paranaense, como o goleiro Ney, os laterais Baiano e Guaru e o atacante Clênio. Confira o plantel completo:

GOLEIROS: Ney (Toledo), Ednaldo (Nacional e Mixto) e Wellington (Bangu);
ZAGUEIROS: Marcelo Xavier (Juventus/SP), Diego (Rio Branco), Gustavo (São José/RS), Anderson Ivo (Mesquita/RJ) e Juninho;
LATERAIS: Baiano (Nacional e Camboriú), Fernando (St. Gallen/ Suíça), Guaru (Nacional e Camboriú) e Reginaldo;
MEIO CAMPISTAS: Zé Leandro (Operário), Duda (Rio Branco), Kayo Dias (Coritiba), Gilvan (Metro), Léo Maringá (Juventude/RS e Santa Cruz/RS), Márcio (Paranavaí), Edson Grilo (Operário) e Renan Tavares (Rio Branco);
ATACANTES: Clênio (Nacional e América TO/MG), Tiago Henrique (Nacional), Rômulo (Juventude/RS e Esportivo/RS), Cristiano (Misto) e Dinho (Operário)

Foto: Divulgação
2014 já começou para a Zebra
Com o acesso antecipado, a diretoria do tricolor de Maringá já trabalha e garante um grupo de empresários para investir na próxima temporada. Por fim, uma parceria para a revitalização e reparos do Estádio Regional Willie Davids.

__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.