Clubes do paranaense 2013 estão pensando no futuro?

Em matéria realizada na gazeta do povo do dia 22 de janeiro deste ano - sendo a capa do caderno esportivo -, foi relatado sobre os contratos dos jogadores do Campeonato Paranaense 2013,  o título da matéria teve a seguinte expressão: “Boleiros de aluguel”. Com isso, o blog Do Rico ao Pobre, resolveu fazer a seguinte análise sobre o assunto.


Por Rafael Buiar

Todos os clubes do Paranaense 2013, com exceção do “Trio de Ferro” somam 108 jogadores registrados no Boletim Informativo diário - BID, isto na primeira rodada da competição. Dentre esses, 62 jogadores ficam sem contrato após sair um campeão do torneio estadual, em números, isto chega ser mais que 57%.

Número muito alto, se os clubes querem ter pretensões maiores para um calendário mais extenso em 2013. Entre, os clubes com menor perspectiva para os atletas, o Vermelhinho é o que destaqua. Pois, ao todo, dos 13 jogadores que atuaram na primeira partida do Campeonato Paranaense 2013, somente um, tem contrato de estabilidade pós-regional. Contrato do atacante Leonardo, que termina em janeiro de 2016.

Foto: futebolparanaense.net
Já os clubes que duelaram na segunda rodada, Arapongas e Operário somaram 28 atletas para o confronto. Totalizando o tempo médio de contrato em ambas as equipes, o número médio chega a 14 meses. Por um lado, estranho, em relação ao último campeão do interior (Arapongas), que, com isso, conquistou a vaga da Série D. Este ano não está com o mesmo pensamento?

Em outro time do Norte que participa na elite do futebol paranaense, o Londrina, que é (ou foi) a sensação da competição no inicio do campeonato. Tem a maior média de contrato mais longo na competição, vínculos que chegam até a quase dois anos. E melhor, tem a menor média de idade na competição, média de 24,7 anos. Dados que animam ainda mais os torcedores do Tubarão, que com isso, lotam o estádio e enxergam que o planejamento é de longo prazo.

Dados: Gazeta do Povo
Outro dado que pode ser esclarecido na matéria, é que os jogadores mais experientes (idade) estão atuando no time do oeste do Paraná, o Toledo Colônia Work, TCW. A média é de 29 anos, isto é uma opção do treinador Rogério Perrô, segundo ele, em entrevista concebida na Gazeta do Povo, diz: que gosta de trabalhar com atletas mais maduros, não vê dificuldades com relações profissionais, principalmente em acertos contratuais.

Foto: Assessoria do Toledo
Deste modo, em mais uma análise, já podemos descobrir quais os clubes que estarão brigando por vagas de competições nacionais, Serie D e Copa do Brasil. Torneios que alimentam ainda mais o orçamento das equipes do interior, já que é a única fonte de renda que podem obter depois estadual, já que o Campeonato Paranaensenão é tão valorizado e tem pouco destaque no certame brasileiro. Entre os times do interior, mais uma vez, o Londrina é quem se destaca nos números. Portanto, aguardamos a sequência da competição para confirmamos quem irá levar a melhor.


__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.