Manter o ritmo do bom ano de 2016


Depois de estrear na elite do Paranaense e ter bons resultados, o time do PSTC conquistou espaço (calendário) no cenário nacional e se estruturou. Por isso, o time de Cornélio Procópio promete manter o ritmo em 2017, já que a folha salarial não é uma das mais baixas do Paranaense.

#PARANAENSE 2017
Por Leonardo Dulcio

No Campeonato Paranaense de 2016, o PSTC disputou pela primeira vez a elite do estadual e fez uma campanha surpreendente até mesmo para os torcedores mais otimistas de Cornélio Procópio, chegando à semifinal (sendo eliminado pelo Coritiba). Mesmo assim, o time do PSTC se sagrou campeão do interior diante o Londrina.

A boa campanha de 2016 rendeu ao clube a primeira disputa de um torneio nacional, o Campeonato Brasileiro da Série D. Por isso, em 2017 a torcida espera a solidificação deste projeto, que ganhou mais uma competição neste ano, a Copa do Brasil.

A equipe neste ano irá contar algumas peças já conhecida no futebol paranaense, como o goleiro Vítor (ex-Londrina), os meias Rone Dias (ex-Londrina) e Gabriel Pimba (ex-atleta da base do Atlético Paranaense) e por fim, os atacantes Néverton (ex-Luverdense e oriundo das categorias de base do Paraná Clube) e Federico Miño (ex-Estudiantes de Rio Cuarto-ARG).

O time teve quatro amistosos de preparação para estadual – Um com jogadores das equipes amadoras da cidade de Cornélio Procópio (2 a 0), com o Arapongas EC (3 a 0), com o Cianorte, que perdeu de 6 a 0, no Estádio Albino Turbay e com o Marilia, que venceu por 2 a 0. A Equipe do PSTC estreia no Ubirajara Medeiros contra o Toledo.


Time Base: O comandante Reginaldo Vital escalou o PSTC em um 4-4-2 com: Vítor, Carrer, Denilson, Marcão, Guilherme, Julio Cezar, Somália, Gabriel Pimba, Rone Dias, Néverton e Carlos Henrique.

Destaque: Rone Dias, meia que chega com grande currículo no futebol paranaense, para comandar o meio-campo do PSTC.

Treinador: Reginaldo Vital, após uma primeira temporada surpreendente em 2016 o técnico segue no comando do Leão do Norte.


__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO