Em busca da hegemonia


A equipe do Alto da Glória bateu na trave no ano passado, com o vice-campeonato. A espera da torcida alviverde já está no quarto ano. Por isso, o Coritiba quer voltar ao topo do estado e levantar a 37ª taça do Paranaense.

#PARANAENSE 2017
Por Yuri Casari

Após três anos seguidos sendo eliminado em casa, o Coritiba busca agora recuperar o título estadual e aumentar a vantagem como maior campeão paranaense. Sempre cotado como favorito, o Coritiba precisa esquecer as últimas três temporadas. Em 2014, caiu nas semifinais para o Maringá. Em 2015, foi derrotado na final pelo Operário e em 2016, novamente na final, sucumbiu frente ao maior rival, o Atlético-PR.

Para reverter esse pequeno jejum, a diretoria coxa-branca conseguiu manter principais peças do elenco do ano passado além de garantir a manutenção do técnico Paulo Cesar Carpegianni. Em relação aos novos nomes, a política de contratações coxa-branca tem sido discreta. Desembarcaram no Alto da Glória o volante Jonas, ex-Flamengo, o meia Tiago Real e os atacantes Rildo (ex-Corinthians) e Henrique Almeida, que retorna ao Couto Pereira após breve passagem pelo Grêmio. Há ainda a expectativa pela contratação do ex-melhor jogador do mundo Ronaldinho Gaúcho. A direção, representada especialmente pelo ex-lateral direito Juliano Belletti, novo diretor executivo internacional do clube, busca viabilizar patrocinadores para que R10 possa ser atleta do Coritiba.

Na pré-temporada, realizada mais um ano em Foz do Iguaçu, o Coxa realizou dois jogos-treinos contra equipes paraguaias. No primeiro teste do ano, contra o 3 de Febrero, empate em 3 a 3. Os gols do Coritiba foram marcados pelo colombiano Filigrana (outro reforço para o ataque), por Ruy e João Paulo. Já contra o frágil time do Minguá Guazu, goleada por 7 a 0, com Kléber, Tiago Real e Léo Santos marcando duas vezes cada e Rodrigo Ramos fechando o placar. Na estreia do Paranaense, o torcedor alviverde ainda verá uma equipe alternativa, já que até mesmo alguns reforços ainda se recuperam fisicamente de lesões da temporada que passou.


- Time base: Wilson, Dodô, Juninho, Walisson Maia e Carlinhos; Alan Santos, João Paulo, Ruy e Tiago Real; Henrique Almeida e Kléber Gladiador.

- Craque do time: Kléber Gladiador - Artilheiro coxa-branca em 2016 com 23 gols, Kléber recuperou o bom futebol, se afastou das confusões e se mostrou um líder positivo no elenco. Segue como referência no ataque.

- Treinador: Paulo Cesar Carpegianni - Vindo como uma incógnita para salvar o Coritiba do rebaixamento no Brasileirão, Carpegianni mostrou que segue atualizado, recuperando o Alviverde não apenas na tábua de classificação, mas também nas qualidades das atuações. Sua manutenção no cargo é um dos principais trunfos do Coritiba.


__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO